Arquivo

Posts Tagged ‘Itália’

Só os pássaros estão alegres – josé luís montero ( publicado in ETC. e TAL )

Novembro 4, 2013 2 comentários

http://etcetal.pegada.net/j/2013/11/so-os-passaros-estao-alegres/#sthash.vcbTzkBE.dpbs

Tenho algumas manias, no entanto, como são minhas, penso que são genialidades. Navego por Europa, principalmente por Itália, e vejo e revejo a mesma gritaria por todo o lado, menos na santa Alemanha que nos (des) governa através da mão benta dos governos locais. O binómio Portas-Coelho não é mais que uma espécie de caixeiro-viajante encarregado de vender as tesouras que condicionam a vida dos cidadãos. No entanto, existe uma diferença clamorosa entre os verdadeiros vendedores e este binómio: os vendedores procuram agradar e oferecer maravilhas a baixo preço e o binómio impinge produtos sem ter em conta a simpatia e as vantagens. Ler mais…

TEIXEIRA DOS SANTOS FALA EM PASSADO josé luís montero

Teixeira dos Santos “visiona” mais países a pedir ajuda financeira. O Teixeira dos Santos fala sobre o que se comenta. Já se comentava quando ele estava no governo. Não leio muitos mas, leio alguns jornais de diferentes países e essa possibilidade é falada há bastante tempo. Economistas e não economistas sabem perfeitamente que estamos a viver uma crise sistémica. O que padece Portugal também o sofre Espanha; Itália; etc. A diferença está no tamanho e na capacidade de arraste destes dois países para que se esteja a contemporizar. A queda de Portugal não tem o efeito, pela dimensão, que pode ter Itália. Por isso, Europa tenta castrar o burro antes que tire da nora. Mas, o burro já está castrado e a nora estilhaçou-se. Caminhamos para outra forma de estar na vida; na História é impossível voltar sobre o caminho trilhado. As janelas abriram-se de par em par e nasceram movimentos cheios de futuro como os Indignados. Ninguém quer; ninguém quer viver, novamente, o passado. Ler mais…

ALEXANDRE O’NEILL: «JÁ NÃO CORRO ATRÁS DE MIRAGENS» ( última entrevista)

 O dia 21 de Setembro de 1985 foi publicada no Expresso a última entrevista de Alexandre O’Neill realizada por Clara Ferreira Alves.

_________X_________

Alexandre O’Neill tem andado arredado dos lugares da fama. Se o homem se confessa solitário e «meio-morto», o poeta – presente em reedições e traduções – está mais vivo que nunca…


Quiseram dar-lhe uma medalha. A Ordem de Santiago e Espada. Respondeu, por escrito, que não aceitava porque se havia entre ele e o país uma dívida, era ele quem devia. «Sou contra, era a forma mais simpática de dizer não». Vive num prédio descascado da Rua da Escola Politécnica, rodeado de livros, desordem e solidão. É poeta, publicitário nas horas não vagas. Chama-se Alexandre O’Neill e tem 51 anos de idade. Ler mais…