Arquivo

Posts Tagged ‘Pinto da Costa’

Textos de Intervenção – josé luís montero

Está um lindo dia. O frio cura os presuntos e o Sol mima os idosos. Está um dia de chuva. A chuva rega os tomates e a terra abre-se vaginalmente para a Vida.Está um dia de merda. O Cavaco ganhou as eleições e o Povo ganhou uma comichão nos colhões. Está um dia de neve. A neve é bonita,mas, mais bonita é a namorada do Pinto da Costa. Está um dia sonso; está um dia para diabéticos.

José Luís Montero – ex-fantasma do Intendente –

Anúncios

CANÁRIAS TAMBÉM TEM BANANAS por josé luís montero

É sério escrever sobre o Alberto João Jardim? Penso que não. Portugal vive formalmente numa Democracia; mas, este senhor ainda não percebeu isso. Nem quer perceber. Então, prefiro não gastar tempo e paciência – própria e alheia – para dizer o que a grande maioria das pessoas sabem. Prefiro falar do PSD; prefiro falar do partido do embaixador das bananas. Como é que um partido que se diz democrata aceita no seu interior este arlequim de expressão nasal travada? Como pode o ministro Relvas falar de liberdade ou de democracia? Como pode o Presidente Passos Coelho falar de moderação de atitudes? Devem estar, todos, a brincar à cabra-cega com o cidadão. O vencedor recebe como prémio um quilograma de bananas. As cascas e os fios das bananas podem ser depositados nos buracos. Ler mais…

DEUS NÃO SE PORTA BEM por josé luís montero

Os dias deveriam chamar-se todos: ontem. Dessa forma nunca falaríamos do presente e evitaríamos muitos aborrecimentos. Não estaríamos a falar dos sonsos que estão nos governos, nem nos preocuparia a taxa eléctrica. Estaria tudo pago. Os preços sempre seriam antigos e a vida muito mais barata. A crise nunca teria acontecido e nem o mesmíssimo Benfica seria bicampeão europeu no tempo em que o futebol ainda era futebol. Nem sequer estaríamos na época de Adão e Eva e o fantasma de Deus nunca nos mandaria tapar as vergonhas. Ainda que eu nunca me consegui envergonhar do meu sexo. Talvez seja pela falta de vergonha que comecei a duvidar da existência de Deus e mais tarde, a nega-la completamente. Quem mandou a Deus inventar a vergonha? Cada vez estou mais convencido que não era muito inteligente, nem lera, sequer, as Selecções Reader`s Digest. A vergonha não é mais que o fruto – não da maçã de Eva – da incultura divina. E por culpa dele vivemos no presente e temos que levar com esta crise que é mais que uma crise: é a grande teta por onde chupam os poderosos. Ler mais…