Arquivo

Posts Tagged ‘Seguro’

José Sócrates pede ao PS que vote contra o Orçamento

NÃO ACUSAM; SÓ MENTEM. Por José luís montero

O jogo da política anda entre o “eu acuso” e o “ tu mentes”. Entramos nas versões digitais dos jornais e não encontramos muito mais que estas duas grandes expressões. Mas, nenhuma é verdadeira ou clarividente. Pego numa das versões ao acaso e desmiúço-a:” Seguro diz que Portugal não tem ministro de Economia” titula o Diário de Notícias. Lendo assim e em forma de titular sem observar o contexto podemos pensar que o líder opositor está a estalidar o Governo na figura do ministro. Mas, não é verdade; está a atacar o ministro, no entanto, está a ajudar o Governo ou pelo menos a figura do primeiro-ministro. Segurado, através do Diário de Notícias, afirma e titula: “O PS não vai fazer o que o PSD de Passos fez na oposição.” Ao ler isto, pergunto-me: que fez o PSD de Passos? Atacar o Governo do PS sem compaixão, nem pejo. Portanto, Seguro está a dizer-lhe ao PSD que fará uma oposição piedosa e pudica. No entanto, se continuamos pela mesma senda tropeçamos com o seguinte: “O Governo incomodado com o ministro de Economia”; então, se reflexionamos, podemos concluir: o Seguro está a ajudar o Governo no seu descontentamento com um dos seus ministros. Ler mais…

O BAILE ORÇAMENTAL por José luís montero

Outubro 7, 2011 1 comentário

Quando se aproxima a época do Orçamento sempre se estabelece uma espécie de baile onde todos querem dançar, mas, onde só alguns dançam. Dada a situação de xeque-mate em que se encontra Portugal a mãos da ditosa tróica, o Orçamento não estará marcado por uma estratégia governamental ou mesmo por uma visão partidária do Pais; estará marcado por uma estratégia exterior vindicativa e poderosa. O Governo da República tem duas opções: cumprir ou não cumprir. O facto de executar as directrizes internacionais não o salva da quebra. O jogo global a que está submetida a crise visa, entre outras coisas, a luta por estabelecer uma nova moeda-padrão. E Portugal é euro. O sim ou não do País depende muito mais das acções bélicas em que se veja involucrado o euro que da tesourada que o governo execute. Portugal, como os restantes países da CEE, não é uma entidade isolada e independente. Ler mais…